20 de outubro de 2019
PUBLICIDADE
Chiquinho Sorvetes 01
Chiquinho Sorvetes 01

Boletim epidemiológico aponta Comcam com 262 casos de dengue

PUBLICADO DIA: 09/05/2019
POR: Portal Juranda

Para conter a proliferação do Aedes, municípios vêm intensificando as ações de combate
O avanço de casos de dengue na Comunidade dos Municípios da Região de Campo Mourão (Comcam) continua preocupando as autoridades de saúde. De acordo como o boletim epidemiológico da dengue, atualizado nesta semana pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesa), são 262 casos de dengue confirmados até o momento na região e 1.674 notificações feitas.


De acordo com os dados, as situações mais preocupantes são registradas em Campo Mourão, que está com 93 casos confirmados e Moreira Sales 81. Os números, porém divergem aos divulgados pelos municípios. Em Campo Mourão, por exemplo, já são mais de 100 casos confirmados da doença.
Outros municípios com casos, conforme a Sesa, são:

Juranda (23);

Barbosa Ferraz (1);

Campina da Lagoa (4);

Engenheiro Beltrão (5);

Goioerê (16);

Mamborê (4);

Peabiru (40);

Quinta do Sol (11);

Terra Boa (5) e Ubiratã (1).

Araruna, apesar de não aparecer na lista da Sesa, também já tem casos confirmados na região, 5 no total.

Ainda conforme os dados, os municípios com notificações são: Araruna (22); Barbosa Ferraz (30); Boa Esperança (42); Campina da Lagoa (57); Campo Mourão (245); Corumbataí do Sul (9); Engenheiro Beltrão (47); Farol (5); Fênix (5); Goioerê (267); Iretama (14); Janiópolis (18);  Luiziana (9); Mamborê (71); Moreira Sales (351); Nova Cantu (3); Peabiru (188); Quarto Centenário (14); Quinta do Sol (34); Rancho Alegre do Oeste (14); Roncador (10); Terra Boa (59) e Ubiratã (128).
O vírus é transmitido pelo Aedes aegypti, que transmite também a febre amarela, chikungunya, e zika vírus. Uma das principais preocupações dos municípios é que a infestação do Aedes continua alta na região. Em Campo Mourão, por exemplo, está 6,55%; já em Araruna (6,8%) conforme o último Levantamento Rápido de Índice Aedes aegypti (Lira). O índice tolerado pelo Ministério da Saúde (MS) é de até 1%.
Em Campo Mourão, outra preocupação é que várias localidades do município estão sofrendo surtos da doença como os jardins Cohapar, Albuquerque, Paulista, Isabel; Nossa Senhora Aparecida, Alvorada, e Cidade Nova. A expansão de casos de dengue também preocupa a Vigilância Municipal que está registrando a situação nos jardins Tropical II, Avelino Piacentini, Parigot de Souza, Paulista, Albuquerque, Alvorada e Nossa Senhora Aparecida.
Para conter a proliferação do mosquito, os municípios vêm fazendo diariamente os trabalhos rotineiros de campo como tratamento e eliminação de focos, bloqueios nas regiões onde há casos suspeitos ou confirmados, além da conscientização da população com orientações sobre a doença. As ações recebem acompanhamento da 11ª Regional de Saúde.
Paraná
O Paraná registrou 968 novos casos de dengue em uma semana. Os dados foram divulgados em um boletim da Secretaria de Saúde do Estado do Paraná (Sesa) nessa terça-feira (7).
Ao todo, conforme o boletim, 5.938 casos foram registrados no Paraná. De acordo com a Sesa, até agora dez mortes foram causadas pela doença. Duas foram confirmadas nesta semana, sendo registradas em Maringá, no norte, e em Cascavel, no oeste.
O boletim ainda aponta que nove municípios registraram pela primeira vez um caso de dengue na série, que começou a ser registrada em agosto de 2018. No total, 163 cidades do Paraná possuem pelo menos um caso confirmado. O estado conta ainda com 42,4 mil notificações de casos de dengue. Desses, 18,6 mil já foram descartados, conforme o boletim.
Chikungunya e zika
A Sesa atualizou ainda os dados que envolvem a chikungunya e a zika. Dois novos casos de chikungunya foram confirmados no Paraná conforme o boletim. Ambos foram importados. Até agora são 11 no total. O número de casos de zika vírus se manteve estável. Segundo a Sesa, quatro casos da doença foram confirmados no Paraná, sendo três autóctones e um importado.
Cuidados
A população deve limpar os quintais todas as semanas, para evitar acúmulo de lixo que possa juntar água. Vasos de plantas também podem conter ovos ou larvas de mosquitos. Os criadouros estão em qualquer acúmulo de água parada, por menor que seja, até em tampinhas de garrafa. Mas são encontrados com maior frequência em lixo, como resíduos plásticos, espalhados pelas ruas. É preciso atuar ativamente mantendo quintais limpos, sem acúmulo de lixo, pneus, garrafas, por exemplo; calhas, marquises e ralos.
Os pratos das plantas podem ser completados com areia grossa até as bordas ou ser lavados com água, bucha e sabão todas as semanas, para eliminar ovos do mosquito. Locais de armazenamento de água devem ser mantidos com tampas.

T.Interior

PUBLICIDADE
© COPYRIGHT 2015 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - Portal Juranda