19 de outubro de 2019
PUBLICIDADE
Chiquinho Sorvetes 01
Chiquinho Sorvetes 01

Falta comprovação de pelo menos 10% da vacinação contra Aftosa

PUBLICADO DIA: 05/12/2015
POR: Portal Juranda

A 2ª etapa da campanha de vacinação contra a Febre Aftosa encerrou na segunda-feira passada (30 de novembro), mas pelo menos 10% dos produtores da região ainda não fizeram a comprovação da imunização junto à Agência de Defesa Agropecuária (Adapar). Isso ocorre geralmente por esquecimento, falta de tempo, ou pior ainda, porque o produtor não fez a vacinação durante o mês de novembro, período da campanha.

g_aftosa g_aftosa1

O prazo para a comprovação encerrou no dia 30 de novembro, mas até terça-feira (1º de dezembro) havia uma tolerância da fiscalização. “Foi dado esse prazo porque entendemos que alguns produtores podem ter vacinado o gado na tarde do dia 30 de novembro e aí não teriam tempo de fazer a comprovação no mesmo dia”, explica Claudia Gebara, fiscal de Defesa Agropecuária da Adapar, unidade de Campo Mourão.

 

Após esse prazo, porém as multas já deverão ser feitas a quem não se regularizou durante campanha e os valores não são baixos.

O produtor que deixar de vacinar uma cabeça, por exemplo, está sujeito a multa no valor de R$ 800; se a quantidade não vacinada ultrapassar 10 animais, será cobrada uma multa de R$ 79,90 por cada cabeça. Além do mais, ele terá que vacinar posteriormente o rebanho compulsoriamente, na presença de fiscais.

Claudia explica que apesar de novembro ser marcado por muita chuva, a campanha não foi prorrogada. “Entendemos que foi um período difícil para a vacinação por conta da chuva, mas não houve a prorrogação da campanha. Pedimos agora que as pessoas que vacinaram e que não fizeram a comprovação que procurem com urgência a unidade da Adapar. Mesmo quem não vacinou também deve se apressar para que possamos fazer uma autorização para a venda da vacina nas casas agropecuárias. Precisamos regularizar toda a situação para tentar evitar as multas, porque esse procedimento já pode ser tomado desde o dia 1º de dezembro”, adverte ela.

 

Em Campo Mourão, dos 225 produtores cadastrados, 40 ainda não comprovaram a vacinação do rebanho. Em outros municípios da região a média varia em torno de 10% ainda pendentes. Claudia lembra que o fechamento dos relatórios, em todo o Paraná deve ser fechado até o dia 16 de dezembro, quando o material será encaminhado para Curitiba. “Em Curitiba o coordenador estadual da campanha da aftosa faz o encaminhamento para o Ministério da Agricultura para o balanço nacional da campanha. Por isso pedimos urgência aos produtores que ainda não regularizaram a situação, pois a partir desse prazo é multa certa.”

Todo rebanho deve ser imunizado, independente da idade. A área de abrangência da Adapar possui quase 500 mil bovinos e bubalinos.

GTA

Claudia orienta também sobre a Guia de Trânsito Animal (GTA)), que é um documento oficial para trânsito de animais e ovos férteis. O documento é emitido eletronicamente no Sistema de Defesa Sanitária Animal – SDSA pelos servidores da ADAPAR e outros Médicos Veterinários não oficiais, habilitados pela GTRA. O trânsito de animais (exceto cães e gatos) para qualquer finalidade, deve ser realizado após a emissão da GTA, que é entregue ao interessado e deve acompanhar estes animais durante todo o percurso (trajeto), conforme a Resolução 05/2011.

“È importante lembrar também que quem faz o transporte sem a Guia de Trânsito recebe multa no mesmo valor daquele que deixou de vacinar contra a aftosa ou não comprovou a imunização do rebanho”, alerta ela. A unidade da Adapar em Campo Mourão fica localizada na Avenida João Bento, número 1.899, próximo ao Sesc.

 

PUBLICIDADE
© COPYRIGHT 2015 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - Portal Juranda